quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Gráfico de Nolan

comunidade
universal
AUTORITÁRIO capitalismo social capitalismo corporativo supremacia
cultural
ESQUERDA POLÍTICA controle social liberdade social REPÚBLICA DEMOCRACIA AUTORITÁRIO ANARQUIA ESTRATOCRACIA TOTALITÁRIO TOTALITÁRIO comunismo esquerdismo populismo democracia-cristã confucionismo conservador social-democracia fascismo república-islâmica nacionalismo positivismo reacionário racionalismo anarquismo libertarismo socialismo estadismo trabalhismo ambientalismo centrismo feminismo hedonismo burocracia liberalismo ativismo DIREITA POLÍTICA controle econômico liberdade econômica
coletivismo
horizontal
LIBERAL socialismo capitalismo laissez-faire corporativismo coletivismo
vertical


     O Espectro Político ou Bússola Política é um sistema de classificação de diferentes ideologias políticas sobre eixos geométricas que simbolizam ideários políticos. No eixo horizontal do plano cartesiano caracteriza-se pela passagem do foco social (Esquerda) para o foco econômico (Direita). Com relação ao eixo vertical do plano, é representado a gradação entre a ausência e a presença do Estado na sociedade.

7 comentários:

  1. Este gráfico erra brutalmente numa coisa.

    O autor não sabe o que é o fascismo.

    O fascismo é uma mistura de elementos de esquerda e de direita, considerar o fascismo, defensor do totalitarismo estatal, como um extremar do liberalismo, que defende a quase inexistência do estado é simplesmente burrice.

    Do mesmo modo, considerar o neo-liberalismo, um dos extremismos da nossa época, como estando no "centro", como se fosse uma opção moderada é outro erro crasso.

    Tirando isso o resto está giro, mas estes erros são ridículos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade Pedro existem vários erros ai, partindo de que esquerda e direita são conceitos atuais e não a simples diferença de posição entre o ancien regime e a revolução francesa, nem de jacobinos e girondinos.

      A principal ideia que modera a diferença entre esquerda e direita é primeiro entre a noção do dever do estado. Na esquerda o estado é forte e atuante e na direita o estado é mínimo. Nos valores a esquerda é cética e criadora de novos conceitos e a direita é conservadora e acredita que tais valores constroem o que há de melhor no ser humano como a familia tradicional por exemplo.

      Partindo dessa premissa básica é também importante entender que o fascismo é um conceito muito mal compreendido. O fascismo não existe sem um estado grande e totalitário, essas características são da esquerda, logo o fascismo é sim no lado esquerdo do espectro.

      Outro ponto é que não existe "neo liberalismo", é apenas liberalismo, ele não mudou. O que mudou é a visão da esquerda sobre o liberalismo que também está errado no espectro, pois o mesmo deve se encontrar do lado direito. Existem vários outros erros como considerar o reacionarismo como algo de extrema direita e também no corporativismo como de extrema direita,sendo que o próprio corporativismo é a intervenção estatal, logo não pode nunca ser adepta do livre mercado e do liberalismo, nem mesmo no libertarianismo. Dentre outros erros que refletem claramente a posição politica de quem geri o espectro.

      Excluir
    2. Você é que gosta de se enganar achando que FASCISMO E NAZISMO eram de esquerda quando na verdade eram de EXTREMA-DIREITA. Você não segue a mínima lógica e nem os FATOS históricos.
      NAZISMO , por exemplo, tinha seus fundamentos econômicos, sociais e até religiosos inversos ao Comunismo.
      O NAZISMO praticou o pior tipo de capitalismo que foi o CARTEL e o maior exemplo foi a IG-FARBEN que aglutinava as atuais BAYER, HOESTH e AGFA. E nenhuma empresa virou estatal Ao contrário foram criadas muitas empresas que existem até hoje: Hugo Boss, Adidas, etc.
      Fora todo apoio que o NAZISTAS receberam dos magnatas da metalurgia, siderurgia e química. Empresas como a SIEMENS, PORSCHE e MAYBACH trabalharam arduamente para o NAZISMO.
      Até do exterior o NAZISMO recebia financiamento da IBM, GE e da FORD. Henry Ford foi o primeiro não alemão condecorado pelos NAZISTAS. Existe foto e´tudo deste evento.
      O NAZISMO oficializou a IGREJA PROTESTANTE como a Religião oficial da Alemanha e deu a LUDWIG MULLER a liderança da Igreja do REICH. O COMUNISMO proibia o ensino religioso e era oficialmente ateu.

      Enquanto a famílía REAL Britânica morre de vergonha dos vídeos fáceis de achar deles Fazendo a saudação Nazista pouco antes da Guerra, a Revista TIME dos EUA davam o título de HOMEM DO ANO para HITLER em 1938.
      E tem retardado ou fanático religioso que diz que o Fascismo e Nazismo eram de esquerda. É de morrer de rir.
      Hoje em dia pegou a pra´tica da Direita desqualificar professores de história para não ficarem sabendo a VERDADE, mas para os doentes Fascistas fica a lição de que não adianta quebrar o termômetro porque não gostam da doença que sofrem.

      Excluir
    3. Tudo verdade. Mas daí a chamar o fascismo de “capitalista” vai um salto enorme.

      É um infortúnio, não totalmente acidental, que o termo “capitalista” signifique duas coisas diferentes. Originalmente, “capitalista” é o detentor do capital, dos meios de produção: os donos de empresas, bancos e terras, os acionistas, etc. Mas desde que “capitalismo” passou, no século 19, a significar um sistema econômico (nome dado por seus opositores), “capitalista” significa também o defensor dessa causa política, que é, em poucas palavras, a liberdade de mercado.

      Segundo Marx, a defesa do capitalismo era uma ideologia – uma construção teórica enganadora que justifica interesses de classe – burguesa, ou seja, da classe detentora do capital. Assim, os capitalistas – barões das empresas e das finanças – seriam naturalmente defensores do capitalismo, ideologia que justificava o sistema exploratório no qual eles lucravam.

      A verdade, contudo, é mais complexa. A tendência geral é que os grandes empresários não sejam defensores da liberdade de mercado; pois ela não é de seu interesse. Eles querem garantir para si o direito de monopólio e o auxílio estatal, e estão numa situação melhor para influenciar a política do que seus competidores menores. Sem dúvida, eles raramente serão socialistas; a expropriação das empresas também não lhes interessa.

      Fascismo e nazismo, bem como outros movimentos da época, iam ao encontro dos interesses de grandes empresas: garantiam-lhes privilégios via apadrinhamento estatal ao mesmo tempo em que continham a ameaça socialista. Por isso mesmo receberam apoio de tantas corporações.

      hitler

      Fascismo e socialismo sempre brigaram entre si. Mas era uma briga entre duas formas de coletivismo, nenhuma das quais era capitalista, ou seja, defensora do livre mercado. Brigavam tanto justamente por disputarem o mesmo público-alvo. Eram movimentos coletivistas numa época em que o liberalismo e o individualismo estavam quase mortos como proposta política. Muitos fascistas, aliás, vieram da militância socialista (Mussolini é o maior exemplo) e do movimento sindical. Diversos sindicatos eram fascistas e desempenharam papel importante na primeira fase do regime, que terminou por extingui-los.

      Excluir
  2. O gráfico está errado pois leva em conta o que se quer apresentar em uma teoria, não o que ela realmente é. Chamar o Nazismo de Extrema-Direita é análise superficial, pois haviam cartéis, o que é uma forma de controle o Estado, não havia livre mercado, o Estado concedia a exploração de um nicho econômico ao seus aliados, isso é controle estatal sem a administração direta.

    ResponderExcluir
  3. Não é "Trabalhador", é "Trabalhismo".

    ResponderExcluir
  4. Pauta Paulista,
    vá estudar.

    O corporativismo nazista se deu somente pela união de força estado/empresas.
    Retire o estado, e me diga como fica essa situação.

    Ah, retire o estado e me diga como fica também o seu conceito de esquerda. Beijos, saudades.

    ResponderExcluir